terça-feira, 21 de outubro de 2014

Etiquetas: , , , ,

Análise: Comando MOGA Pocket


Cada vez mais os nossos smartphones e tablets são as novas consolas portáteis. A única coisa que lhes falta são botões para controlar os nossos jogos e emuladores preferidos, porque andar com os dedos gordurosos a tapar metade do ecrã acaba por estragar um pouco a experiência.
Felizmente o mercado está cheio de comandos para podermos controlar os nossos jogos favoritos, mas muitos deles são bastante caros. Aqui olhamos para um comando da primeira geração, que agora vê o seu preço muito reduzido com a chegada da nova concorrência. Será que conseguimos manter a funcionalidade e poupar dinheiro optando por um MOGA Pocket?

Primeiras impressões

Quando retiramos da embalagem, nota-se que o MOGA Pocket tem uma boa construção, apesar de ser todo em plástico. A parte de cima é brilhante, toda preta e com apontamentos laranja, e a parte de baixo tem uma cobertura fina de borracha aderente, que ajuda a segurar mais firmemente no comando.



Com apenas cerca de 12 cm de largura, trata-se de um comando bastante portátil, cabendo sem grande dificuldade (e como o nome indica) no bolso. Este tamanho sacrifica um pouco a ergonomia, face a comandos maiores como o MOGA Pro ou o novo MOGA Pro Power, mas não é de todo um problema, porque acaba por ser suficientemente confortável de segurar e todos os botões estão perfeitamente acessíveis.



Passando aos botões, temos dois controlos direccionais analógicos, sob a forma de dois discos que deslizam lateralmente ao estilo da PSP / Nintendo 3DS. Estes controlos estão desalinhados como num comando de Xbox (e não lado a lado) e não há botões direccionais digitais, como no caso do mais recente MOGA Hero Power. Temos 4 botões circulares em losango do lado direito, chamados A, B, X e Y e dois gatilhos, R e L, que são apenas botões normais e não detectam a intensidade com que carregamos. Do lado esquerdo temos os botões START e SELECT e ainda um terceiro botão com uma luz LED que indica o estado da ligação bluetooth, piscando quando está em modo de emparelhamento e apagando-se quando está emparelhado com o nosso smartphone ou tablet. A parte central é um sistema de encaixe universal para smartpones, que levanta e revela o botão de ligar e desligar. Claro que, como estamos ligados por bluetooth, não é obrigatório ter o smartphone no suporte do comando, podemos usar também para jogar no tablet, que nem sequer encaixa no suporte, e pode estar numa mesa à nossa frente, ou ligado à nossa TV da sala por cabo hdmi (consola instantânea!).



Os quatro botões A, B, X e Y são fáceis de carregar mas um pouco barulhentos, mas não têm de todo um aspecto barato e estão bem fixos. Os dois controlos direccionais tinham as molas um pouco duras inicialmente, mas rapidamente parece que ficam oleadas (ou fui eu que me habituei...).

Configuração inicial

Para começarmos a utilizar o nosso MOGA Pocket, não é preciso ligá-lo à corrente para encher as baterias como estamos habituados hoje em dia. Basta virar o comando ao contrário, abrir as pegas de ambos os lados e colocar uma pilha AAA de cada lado! Nada moderno, dirão alguns, mas o facto é que ter pilhas faz com que seja muito mais prático e portátil, porque basta levar umas pilhas extra e não precisamos de estar perto de tomadas.


Colocadas as pilhas, vamos ao nosso smartphone ou tablet e fazemos o download da app MOGA Pivot. A app instala-se da PlayStore sem problemas e guia-nos no processo de emparelhamento, começando por pedir para que liguemos o bluetooth (requisito óbvio). Depois escolhemos o modelo de comando que queremos emparelhar, neste caso o MOGA Pocket, ligamos o comando até a luz de bluetooth começar a piscar azul e passados poucos segundos estamos prontos a usar o nosso novo comando!


Assim que o comando está emparelhado a app MOGA Pivot lista-nos os jogos que temos instalados que suportam oficialmente o MOGA Pocket. A navegação na app pode ser feita inteiramente usando o comando e podemos assim entrar nos nossos jogos favoritos sem tocar no ecrã. Na app temos também uma secção em que estão listados todos os jogos, por categorias, que suportam os comandos MOGA. Basta escolher um jogo e somos levados para a PlayStore para fazer o download.



Jogos e compatibilidade

Surpreendentemente, é aqui que encontramos o calcanhar de Aquiles deste pequeno comando. Ao contrário do MOGA Pro, que tem um modo de gamepad genérico, o MOGA Pocket apenas funciona com jogos que estão especialmente programados para funcionar com o MOGA. A escolha não é de todo pequena, e podem acelerar nas pistas de Asphalt 8 ou na água de Riptide GP 2, ou mesmo dar uns tiros em zombies no Dead Trigger 2, pois todas estas apps suportam o MOGA de raiz. O problema é quando queremos jogar o mais recente FIFA 15, ou Virtua Tennis, ou Sonic CD, ou mesmo um emulador de Nintendo 64, PSP ou GameBoy, que são apps preparadas para funcionar com gamepads mas não foram feitos especificamente para o MOGA. Podemos sempre tentar pedir aos developers para incluir suporte MOGA num update, mas está fora do nosso controlo.

Felizmente, há uma app não oficial na PlayStore chamada "MOGA Universal Driver", que vem transformar completamente a experiência com o MOGA Pocket. Esta app gratuita permite que o comando MOGA seja reconhecido como um teclado, o que faz com que possamos dar uma função específica a cada botão, em jogos ou emuladores que suportam o mapeamento de botões. O único senão neste caso é que os botões direccionais passam a funcionar como digitais (direita, esquerda, cima, baixo) e não analógicos, mas esse é o menor dos problemas se queremos jogar Sonic no nosso emulador de Genesis/Mega drive.


E quando o jogo suporta gamepads mas não permite re-mapear botões? Aí o MOGA Universal Driver também ajuda, mas apenas para quem tem o dispositivo com acesso root. Nesse caso é possível mudar o modo de teclado virtual para gamepad, e todos os jogos que suportam gamepads passam a reconhecer o MOGA Pocket como um comando genérico, e ambos os controlos direccionais funcionam como analógicos! Este é um dos casos em que rootear o nosso dispositivo faz toda a diferença, mas claro que não será uma opção para todos, sendo que nesse caso mais vale optar por outro modelo, como o maior MOGA Pro, ou outra alternativa que suporte um modo de gamepad genérico.

Preço

A principal vantagem do MOGA Pocket é sem dúvida o preço. Com a chegada do mais apetrechado MOGA Hero Power, o MOGA Pocket reduziu drasticamente de preço, tendo no entanto uma funcionalidade bastante boa para jogos suportados, que se alarga a uma lista ainda maior para quem tem dispositivos rooteados. À data em que escrevo, o MOGA Pocket está disponível por apenas $13 na Amazon.com, £16 na Amazon.co.uk e €28 na Amazon.es, um preço bastante mais acessível do que a maioria da concorrência. Obviamente, há sempre a hipótese alternativa do MOGA Pro, ou dos novos MOGA Pro Power e MOGA Hero Power, mas aí já estamos a falar de preços na ordem dos $40 a $60.

Veredicto

Com um preço bastante acessível e um tamanho fácil de transportar, o MOGA Pocket é sem dúvida uma boa escolha para quem não quer investir todas as poupanças num comando para o smartphone. A principal desvantagem é sem dúvida a restrição a jogos com suporte MOGA, algo que é parcialmente colmatado usando o MOGA Universal Driver disponível gratuitamente na PlayStore, e totalmente colmatado para quem tem o dispositivo rooteado. Outra desvantagem é a falta de um comando direccional digital, a famosa cruz direccional que é usada por muitos jogos, para além dos dois comandos analógicos. Esta lacuna foi colmatada no MOGA Hero Power a pedido de muitas famílias. Em alguns casos, a falta de um segundo par de gatilhos (L2 e R2), também pode ser sentida, mas não tanto.

Sendo assim, não é possível dar a mesma classificação para todas as situações, pelo que optámos por dar duas classificações distintas.

Para quem não tem o dispositivo rooteado, a limitação em termos de jogos leva-nos a dar uma classificação mais baixa. Claro que isto pode mudar à medida que mais aplicações disponibilizam suporte MOGA.



Para quem tem o dispositivo rooteado, ou para quem apenas quer usar o MOGA para apps suportadas ou emuladores que suportam re-mapeamento, a experiência de utilização é muito superior, o que, pelo preço incrivelmente baixo, merece mais um ponto na classificação.


0 comentários :

Publicar um comentário